7 de mar de 2011

Carnaval 2011: Segundo dia de desfile na Sapucaí terá bruxas, insetos e homenagens

Fonte: G1 / RJ


União da Ilha vai cantar Darwin e Beija Flor homenageará Roberto Carlos.
Porto da Pedra, Grande Rio, Salgueiro e Mocidade também se apresentam.

Rodrigo Vianna
Do G1 RJ
Bruxas, insetos e uma homenagem ao Rei Roberto Carlos são algumas das surpresas reservadas para o segundo dia de desfile das escolas de samba do Grupo Especial do Rio, nesta segunda-feira (7), na Sapucaí. Seis agremiações apresentarão os seus sambas, entre elas a Grande Rio, vice-campeã de 2010, que teve os seu barracão destruído por um incêndio.
A Grande Rio (foto) foi a vice-campeã do carnaval em 2010 (Foto: Alziro Xavier / G1)A Grande Rio (foto) foi a vice-campeã do carnaval em 2010 (Foto: Alziro Xavier / G1)

Este ano, por causa do incêndio que também atingiu os barracões da União da Ilha e da Portela, não haverá rebaixamento para o Grupo de Acesso A e essas escolas não vão receber notas. Mesmo assim, a Grande Rio, que contará o enredo “Y-Jurerê Mirim: a encantadora Ilha das Bruxas (um conto de Cascaes)”, promete fazer um desfile completo, mas simples.
A Beija-Flor vai encerrar os desfiles do Grupo Especial, já na madrugada de terça-feira (8), entre 2h25 e 3h50, com uma homenagem ao cantor Roberto Carlos. A azul e branca de Nilópolis quer emocionar o público com um enredo cheio de romantismo e sincretismo. O Rei já confirmou presença no desfile da Beija-Flor e virá no último carro alegórico ao lado de 300 crianças, que vão representar Querubins.

O primeiro desfile terá início às 21h, de acordo com a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa). A União da Ilha abrirá a noite com o enredo “O Mistério da Vida”, do carnavalesco Alex Souza. Entre os carros que a Ilha vai levar para a Avenida está o da “aranha”, que foi reconstruído após o incêndio. O desfile de segunda-feira (7) terá a seguinte ordem:

VEJA A ORDEM E OS ENREDOS DAS SEIS ESCOLAS DE SAMBA DO RIO DO SEGUNDO DIA DE DESFILE
União da Ilha (Foto: Rodrigo Silva Vianna/G1)
União da Ilha
A União da Ilha quer mostrar na Sapucaí que não ficou abalada com o incêndio que atingiu o seu barracão na Cidade do Samba. Com parte de suas fantasias e apenas um dos 8 carros alegóricos destruídos pelo fogo, a tricolor promete fazer um desfile completo para contar o enredo “O mistério da vida”, do carnavalesco Alex de Souza.
Apesar de não ser julgada, a União da Ilha quer fazer uma apresentação digna de nota 10. De acordo com Márcio André, diretor de carnaval da agremiação, a escola vai respeitar a ordem e concepção do enredo. Ele afirmou que o carro alegórico destruído já começou a ser reconstruído e que todos os componentes entrarão fantasiados na Avenida.
Com 3,5 mil componentes, divididos em 32 alas, a agremiação vai tratar de ciência, mas de uma maneira mais descontraída. O carnavalesco preferiu manter segredo e não revelou detalhes das fantasias do primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Ronaldinho e Verônica. O intérprete Ito Melodia será o responsável por puxar o samba na Sapucaí. A rainha de bateria é a advogada Bruna Bruno.
Salgueiro (Foto: Rodrigo Silva Vianna/G1)

Salgueiro
Luz, câmera e samba. Assim a Acadêmicos do Salgueirox quer abrir o seu desfile na Marquês de Sapucaí, no Rio. Para conquistar o título de campeã carioca, a vermelha e branca da Zona Norte vai apostar no enredo “Salgueiro apresenta: o Rio no cinema”, dos carnavalescos Márcia e Renato Lage. A dupla promete transformar o Sambódromo em um grande set de filmagens.
Personagens como Homem-Aranha, Carlota Joaquina e Sherlock Holmes estarão entre os 4,1 mil componentes, divididos em 38 alas. O destaque fica por conta de um dos oito carros alegóricos, que terá o King Kong na torre da Central do Brasil. Os ritmistas da bateria comandada pelo mestre Marcão e a rainha Viviane Araújo vão representar o Batalhão de Operações Especiais (Bope).
A carnavalesca Márcia Lage garante: nessa produção não há início, meio e fim. O Oscar e o carnaval aparecem no fim do desfile do Salgueiro, que promete levar alas mistas como um grande bloco de rua. A carnavalesca faz alusão ao samba interpretado na voz do cantor Quinho e diz que no desfile da vermelha e branca “cada um é um astro que entra em cena”.
Mocidade Independente (Foto: Divulgação/Mocidade)

Mocidade
A origem do carnaval pela óptica dos rituais de celebração à terra. Essa é a ideia do enredo “Parábolas dos divinos semeadores”, que a Mocidade Independente de Padre Miguel vai levar para a Sapucaí. O carnavalesco Cid Carvalho fez questão de colocar elementos naturais, como a pinha e o trigo, em todos os setores. Cheios de cores, alegria e muita fartura, assim vêm os 3,8 mil componentes, divididos em 41 alas.
Logo no abre-alas, que vai falar sobre a era glacial, cerca de uma tonelada de sal grosso será jogada sobre o piso para dar o efeito de neve. Com lobos, pinguins e renas, a alegoria vai trazer ainda homens das cavernas e árvores feitas de pinhas. As baianas virão à frente representando as geleiras. Aliás, Cid afirma que fará "nevar" na Avenida.

A dupla de intérpretes Nêgo e Rhychahs ficará com a responsabilidade de empolgar o público na Sapucaí com o samba-enredo. Sétimo lugar em 2010, a Mocidade vai apostar em carros grandiosos, com muito luxo e acabamento para conquistar o título. A rainha de bateria, Andréia de Andrade, virá de ninfa à frente dos ritmistas comandados pelo mestre Bereco.
Grande Rio (Foto: Rodrigo Silva Vianna/G1)

Grande Rio
A escola de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, quer mostrar força e superação na Avenida, após o incêndio que destruiu todos os seus carros alegóricos e parte das fantasias, na Cidade do Samba. Para contar o enredo “Y-Jurerê Mirim: a encantadora Ilha das Bruxas (um conto de Cascaes)”, o carnavalesco Cahê Rodrigues está tendo que correr contra o tempo.
De acordo com o carnavalesco, a escola fará um desfile simples, mas completo. Ele afirmou que a tricolor vai respeitar o organograma do enredo. Oito carros alegóricos são construídos para representar cada setor. No entanto, segundo Cahê Rodrigues, as alegorias serão menores do que as que foram destruídas no incêndio. Ele garante que a Grande Rio fará um desfile emocionante.
Cahê ressaltou que as fantasias de 8 das 36 alas, que eram comerciais, se salvaram. Elementos do folclore de Florianópolis como o boi de mamão, o pau de fita e a procissão de Nossa Senhora dos Navegantes serão contados no quarto setor. A rainha de bateria Cris Vianna virá no terceiro setor à frente dos ritmistas comandados pelo mestre Ciça. O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira é formado por Luiz Felipe e Squel.
Porto da Pedra (Foto: Rodrigo Vianna/G1)

Porto da Pedra
A Porto da Pedra promete transformar a Sapucaí num grande palco de teatro para contar as principais obras infantis de Maria Clara Machado. A escola de samba de São Gonçalo apostará nos sonhos e personagens da atriz e diretora brasileira para conquistar o título inédito de campeã. Com sete carros, a Porto da Pedra vai abusar da criatividade e promete fazer o cavalinho azul “galopar” na Sapucaí.
As baianas da Porto da Pedra prometem emocionar o público. De acordo com o carnavalesco Paulo Menezes, a fantasia vai representar a peça “A bruxinha que era boa”. As baianas serão as bruxas más que atormentavam a protagonista. O carnavalesco afirmou que a Porto da Pedra vai entrar no Sambódromo com o mesmo sonho de sua homenageada: surpreender, divertir e encantar.
A vermelha-e-branca de São Gonçalo vem com 3,8 mil componentes distribuídos em 32 alas. Com muitas surpresas, o carnavalesco adiantou que a escola virá com alas teatralizadas e coreografadas. Mais uma vez, a escola conta com o casal de mestre-sala e porta-bandeira Diego Falcão e Dena Dir. A Porto da Pedra quer mostrar que a obra de Maria Clara Machado continua cada vez mais viva.
Beija-Flor (Foto: Rodrigo Silva Vianna/G1)

Beija-Flor
ltima escola a desfilar, já no dia 8 de março, entre 2h25 e 3h50, a Beija-Flor tem uma comissão de carnaval responsável pelo desfile com cinco membros: Victor Santos, Alexandre Lousada, Fran-Sérgio, Laíla e Ubiratan Silva. Foi o desenhista Victor Santos quem contou os detalhes do enredo “A simplicidade de um Rei”. No entanto, ele preferiu manter segredo de parte das fantasias dos 4 mil componentes, divididos em 47 alas.
A infância do Rei, vivida no município de Cachoeiro de Itapemirim (ES), e a relação com a família serão retratadas no primeiro setor, com uma grande carruagem. Em seguida, a escola começa a contar a história do “mito”, a influência da Jovem Guarda e o romantismo. Ídolo dos caminhoneiros e taxistas, estes personagens também não poderiam ficar de fora da homenagem da Beija-Flor.
Os ritmistas comandados pelos mestres Plínio e Rodney vão representar os comandantes do cruzeiro “Emoções em Alto-Mar”. A rainha Raíssa estará no mesmo setor. O samba será interpretado por Neguinho da Beija-Flor, que está na escola há 36 anos na escola. Os também tradicionais componentes Claudinho e Selminha Sorriso continuam como primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira.



 































































Nenhum comentário:

BlogBlogs.Com.Br