16 de abr de 2011

Aprovado em concurso terá que esperar contratação

Fonte: O Dia Online


Ao enviar ao Congresso Lei de Diretrizes Orçamentárias, governo diz que só dará posse em seleção perto de perder validade

Rio - Preocupação para aprovados em concursos federais e balde de água fria em quem está inscrito nas seleções ministeriais ou se prepara em cursos especializados: só concursos com aprovados em cursos de formação terão contratação de servidores. O anúncio foi feito ontem pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior, ao apresentar o Projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) enviado ao Congresso.

“Fora disso, apenas nos casos estritamente necessários haverá contratações”, afirmou a ministra. “O que pudermos, vamos postergar para os próximos anos. O que for absolutamente necessário, vamos chamar”, completou.

Miriam Belchior citou como exemplo a seleção do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que perde validade hoje: “Tomamos a decisão de contratação porque houve uma perda de analistas grande no Ibama. Servirão (essas nomeações) para substituir e garantir os trabalhos de licenciamento”.
A ministra também teve que explicar por que o adiamento de contratações não atingirá os gestores e analistas de sua pasta. Belchior justificou que os cursos de formação das duas carreiras terminaram em dezembro e em janeiro deste ano. “Já tínhamos comentado que chamaríamos”, disse.
Diretor pedagógico do curso preparatório Academia do Concurso, Paulo Estrela orienta os candidatos a não desanimar. “Mesmo com esses anúncios, continuamos na expectativa tanto do INSS quanto da Polícia Federal”, afirmou o especialista.
Segundo ele, o governo precisa ver o que é prioridade. “O INSS não é prioridade? A Polícia Federal não é prioridade? Esses dois vão trazer impacto na situação política do Brasil. O INSS vai abrir unidades sem ter atendentes? E a Polícia Federal? 2014 está chegando e o efetivo vai estar reduzido?”, questionou.
Governo do estado faz previsão de investimentos de R$ 57,6 bilhões até 2014

O governo do estado deverá investir R$ 57,6 bilhões até 2014, ano da Copa do Mundo. Os recursos estão previsto no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) enviado ontem pelo governador Sérgio Cabral à Alerj. O projeto estima ainda receitas de R$ 52,9 bilhões para o ano que vem e de R$ 55,7 bilhões em 2013.

Nos últimos quatro anos, o governador destacou o investimento de R$ 1,5 bilhão em projetos localizados nos complexos da Rocinha, Alemão, Pavão-Pavãozinho e Manguinhos, realizados em parceria com a União, via obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O total das despesas relacionadas com o PAC foi de R$ 2,37 bilhões em quatro anos, conforme o PLDO.
Na área de Transportes, foram gastos R$ 2,3 bilhões, na reforma de rodovias, implantação e recuperação de vias públicas e acessos municipais, ampliação de linhas do metrô e melhorias do sistema ferroviário. Os investimentos em segurança pública também foram intensificados, passando de R$ 77,7 milhões, em 2007, para R$ 312 milhões, em 2010.
Sobre os royalties do petróleo, o PLDO prevê arrecadação de R$ 5,8 bilhões em 2014. As previsões foram baseadas em dados da ANP.

Nenhum comentário:

BlogBlogs.Com.Br