7 de abr de 2011

‘Puxadinho’ do tráfico em prédio construído no PAC

Fonte: O Dia Online


Um dos chefões do crime da Favela de Manguinhos ocupou apartamento erguido pelo governo e fez uma espécie de varanda

POR LESLIE LEITÃO
Rio - Um dos principais projetos do governo Lula e carro-chefe da campanha presidencial de Dilma Rousseff, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) parece estar fora do controle do poder público. Ontem, policiais do 22º BPM (Maré) comprovaram denúncias de que traficantes já ocupam vários dos 328 apartamentos do Conjunto Embratel, inaugurados em outubro pelo ex-presidente e pelo governador Sérgio Cabral.


A audácia é tanta que o chefe do tráfico da Favela Mandela, Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, não só se apoderou de um desses imóveis, como construiu uma espécie de varanda, com portas e grades de aço, num ‘puxadinho’ que destoa da arquitetura-padrão do conjunto.
Denúncias de moradores indignados levaram a polícia a localizar um dos esconderijos do traficante, que escapou. Marcelo Piloto deixou para trás algumas provas do luxo que transformou o interior do apartamento 108 do bloco 8: teto rebaixado, móveis de primeira linha, luzes vermelhas nos suportes da mesa de jantar e, na estante, uma TV de LCD de 42 polegadas. Para completar, garrafas de licores e uísques importados e roupas de marcas famosas.

O que também chamou a atenção dos PMs foram quatro chaves encontradas no imóvel. Em duas não havia numeração, mas as outras traziam os números de dois apartamentos do mesmo conjunto: 108 do bloco 9 e 108 do bloco 10. Ambos estavam completamente vazios. “Ninguém fica nessas casas, não. Mas não dá para gente ficar falando muito aqui”, desabafou uma vizinha.

Foto: Leslie Leitão / Agência O Dia
Dentro do imóvel de Marcelo Piloto, luzes vermelhas e ostentação | Foto: Leslie Leitão / Agência O Dia
O governador em exercício, Luiz Fernando Pezão, disse que, enquanto não existir uma UPP em Manguinhos, haverá esse tipo de problema, que tem que ser combatido. “Vamos intensificar as operações policiais. 

Trabalhamos em parceira com a prefeitura e sabemos as dificuldades de entrar. Mas assim que entrarmos lá, vamos acabar com as obras irregulares”, afirmou.

Estado e prefeitura já fizeram até reunião sobre a obra irregular

O ‘puxadinho’ foi descoberto há 15 dias, segundo Ruth Jurberg, coordenadora do Trabalho Social do PAC — serviço ligado ao Escritório de Gerenciamento de Projetos da Casa Civil do Estado —, e motivou reunião do órgão com o Posto de Orientação Urbanística e Social (Pouso), da prefeitura.

“Depois que os imóveis são entregues, não cabe ao estado fiscalizar. O Trabalho Social acompanha os síndicos por seis meses e faz reuniões, mas a fiscalização é da prefeitura e só o município pode decidir o que fazer sobre isso”, explicou Ruth, frisando que o ‘puxadinho’ teria menos de um mês. 

A coordenadora ressaltou que, antes de receber os apartamentos, os moradores participam de espécie de curso, com 15 horas de duração, onde são informados sobre todas as regras e funcionamento de um condomínio. “Os moradores recebem as chaves e cópias da convenção de condomínio assinada por eles, onde fica estabelecido que não pode construir puxadinhos nem alterar a fachada do prédio”, afirmou.

Criminosos usavam jacarés para intimidar moradores

A operação montada pelo 22º BPM no Complexo de Manguinhos, ontem, que reuniu cerca de 40 homens, tinha como principal objetivo recuperar carros e motos roubadas. A quadrilha que domina as favelas da região é uma das que mais aterrorizam motoristas em todo o Rio de Janeiro. A prova da marca da crueldade dos bandidos foi achada no terraço de uma casa na comunidade. Dois filhotes de jacaré eram mantidos em cativeiro, dentro de uma caixa de isopor, com carne à vontade para se alimentarem.

“Eles ainda eram pequenos, mas as informações que temos é de que os jacarés eram usados para intimidar as pessoas dentro da favela”, contou o tenente Hudson Barbosa. Os animais foram levados para o Ibama.

Em outra casa, PMs apreenderam uma pequena quantidade de drogas com um casal. Já na Favela Mandela 2, um barraco à beira do rio que servia para guardar material de embalo de drogas foi estourado. Durante a ação, também foram apreendidos um Voyage e nove motos roubados, que estavam na mesma casa onde os jacarés foram encontrados. 

Piloto tem anotações de homicídio, tráfico e assaltos

Aos 36 anos, Marcelo Piloto controla as bocas de fumo da região do Mandela e Embratel, no Complexo de Manguinhos. Acusado de participar de ‘bondes’ de assaltantes que já fizeram várias vítimas inocentes nas ruas da Zona Norte, ele possui cinco anotações em sua ficha criminal por homicídio, tráfico, associação para o tráfico, roubos e receptação. 

A Justiça já expediu seis mandados de prisão contra Marcelo Piloto, também conhecido como Celo. O Disque-Denúncia (2253-1177) oferece R$ 2 mil por uma informação que leve a sua captura.

Nenhum comentário:

BlogBlogs.Com.Br