24 de mai de 2011

PM apresenta armas não letais que começaram a ser usadas nas UPPs

Fonte: G1 Rio de Janeiro


Objetivo é intensificar o uso dos equipamentos nas áreas pacificadas.
Segundo coronel, serão investidos R$ 3 milhões em compra de material.

Aluizio Freire
Do G1 RJ
A Polícia Militar do Rio fez uma apresentação nesta segunda-feira (23) das armas não letais que já começaram a ser usadas no policiamento das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). Entre os novos equipamentos, estão as tasers doadas pelo Ministério da Justiça.
De acordo com o coordenador das UPPs, coronel Robson Rodrigues, serão investidos R$ 3 milhões na compra desse material. "O objetivo é que o policial seja treinado para agir com esses equipamentos e que só use a arma de fogo em casos extremos", disse.
Segundo o coronel, essas armas podem ser usadas na maioria dos conflitos em áreas ocupadas pela polícia. "Elas podem ser utilizadas para dispersar uma multidão, conter uma pessoa mais exaltada, imobilizá-la e algemá-la sem provocar ferimentos graves", explicou.

kit de armas não-letais (Foto: Aluizio Freire/G1)
PM apresentou kit de armas não letais
(Foto: Aluizio Freire/G1)
As armas não letais já estavam sendo usadas em treinamento de policiais das unidades pacificadas desde julho de 2010. Entre os equipamentos, além das tasers, estão as bombas de efeito moral, spray de pimenta, projéteis de impacto controlado (balas de borrachas) e gás lacrimogêneo.
Ao todo, 315 tasers foram cedidas pelo Ministério da Justiça para as UPPs do Rio. O objetivo, segundo anunciou o ministro José Eduardo Cardozo, que participou da inauguração da 17ª Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), na última terça-feira (17), é  começar um novo conceito de policiamento pacificado no Brasil. O estado do Rio foi escolhido para dar início a esse trabalho.
A unidade foi inaugurada pelo governador Sérgio Cabral, no Morro do São Carlos, no Centro, e atenderá a comunidades com 17 mil habitantes, levando mais segurança para 200 mil moradores do entorno. A novidade será o uso de armas não letais.
Ele disse que está em estudo a implantação de um território da paz, além da ampliação dos equipamentos das UPPs. Segundo Cardozo, os policiais estão sendo treinados pela Secretaria de Segurança para utilizar as novas armas.
"O Rio de Janeiro representa hoje um marco na luta contra a violência, na luta pela paz, e por isso foi escolhido para receber essa primeira leva de armas", justificou.
Efetivo com 51 mulheres
À frente da 17ª UPP no Morro do São Carlos está o capitão Luiz Piedade, que comandará um efetivo de 250 policiais, sendo 51 mulheres - o maior contingente feminino dentre as UPPs.

Esta é a terceira UPP na região, que engloba nove morros ocupados desde o dia 6 de fevereiro pela polícia. Antes já haviam sido instaladas unidades no Morro do Fallet/Fogueteiro (15ª) e no Morro dos Prazeres (16ª).
Cabral inagura nova UPP do Rio (Foto: Carolina Lauriano/G1)
Cabral inagura nova UPP do Rio
(Foto: Carolina Lauriano/G1)
Segundo o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, o plano é completar até 2014 a ocupação de 40 comunidades, entre elas, a Rocinha, na Zona Sul. De acordo com o secretário, a comunidade da Zona Sul tem um plano para ser ocupada, mas a data da ocupação não será divulgada.
Outras UPPs
O governo inaugurou a 14ª UPP, no final de janeiro deste ano, no morro São João, no Engenho Novo, no subúrbio do Rio. Ela tem um efetivo de 200 policiais militares, sendo 35 mulheres, e atenderá também as comunidades da Matriz e Quieto.

Em outubro do ano passado, a 13ª UPP foi inaugurada, no Morro dos Macacos, em Vila Isabel, na Zona Norte. Além do Morro dos Macacos, os policiais também ocupam as comunidades do Pau da Bandeira e Parque Vila Isabel, no mesmo morro.
As outras UPPs funcionam na favela Dona Marta, em Botafogo, no Pavão-Pavãozinho/Cantagalo, entre Ipanema e Copacabana, no Chapéu Mangueira/Babilônia , no Leme, Ladeira dos Tabajaras e Morro dos Cabritos, em Copacabana, todas na Zona Sul do Rio. Na região da Tijuca, na Zona Norte, funcionam as UPPs do Andaraí, Salgueiro, Turano, Formiga.
A Polícia Militar pacificou também as comunidades do Jardim Batam, em Realengo, e a Cidade de Deus, em Jacarepaguá, na Zona Oeste, e o Morro da Providência, no Centro.

Um comentário:

renata disse...

Muito boa esta notícia. Estamos Juntos!

BlogBlogs.Com.Br