27 de jul de 2011

Acuados pela série conflitos, moradores da Zona Norte cobram providências da PM

Fonte: O Dia Online


Rio - Policiais da 28ª DP (Campinho) investigam denúncias de que o traficante Carlos Laerte Marcelino, o Carlinhos Fubá, de 62 anos, teria comandado a tentativa de invasão ao Morro do Fubá. Ele foi preso em fevereiro do ano passado, mas está em liberdade condicional. Desde sábado, ele é visto na região abordando moradores, exigindo que se identifiquem.
Há também relatos de assaltos cometidos pela quadrilha. “Infelizmente, não temos paz. De um lado, a milícia, de outro, os traficantes”, lamentou X. “Precisamos de uma atuação mais enérgica da PM aqui na área”, cobrou Y.
Seis pessoas foram presas na favela | Foto: Osvaldo Praddo / Agência O Dia
Na região, traficantes controlam o Morro do Dezoito, em Quintino. O bando de Alexandre Bandeira de Melo, o Piolho, invadiu em outubro a comunidade, antes ocupada por paramilitares. Já os morros do Saçu, no mesmo bairro, da Caixa D’água, em Piedade, e algumas das principais ruas da região são dominadas por milicianos.

Tiroteios desde o fim de semana
Desde o fim de semana, tiroteios assustaram a população em Campinho, Cascadura, Madureira, Piedade e Quintino. Entre a noite de segunda-feira e a madrugada de ontem, policiais militares mataram dois homens e prenderam seis que tentavam invadir o Morro do Fubá, em Campinho. Os criminosos mantiveram dois motoristas reféns — um deles acabou vítima de uma bala perdida.
Segundo o 9º BPM (Rocha Miranda), traficantes de diversas comunidades — entre eles o Conjunto Amarelinho, em Irajá, e o Morro da Serrinha, em Madureira — tentam tomar o Morro do Fubá, dominado por paramilitares do grupo Águia de Mirra. 

Por volta de 22h30, desta segunda-cerca de 30 homens, armados fuzis e pistolas e usando roupas pretas, dentro de um caminhão-baú e diversos carros chegaram à entrada do Morro do Fubá. Segundo a PM, o bando iria reforçar o grupo de traficantes que está acampando desde sábado em mata da comunidade.
Arte: O DIA
Na subida da favela, a quadrilha foi recebida a bala por milicianos e recuou. Foi quando os policiais chegaram e ocorreu nova troca de tiros. Durante a perseguição, que se estendeu por ruas de quatro bairros, os policiais prenderam seis homens: Thales Martins da Silva, o Artilheiro, de 19 anos; Wagner Félix Lima, o Brahma, de 23; Ângelo Gutemberg da Silva Mattos, o Cabelinho, de 18; Carlos Roberto da Silva Santos, o Peteco, de 18; Januário Gama Seabra, de 18; e Raphael Augusto Ávila Pereira, de 19 — os dois últimos foram baleados e hospitalizados.
Dois motoristas viram reféns de bando em fuga
Para tentar fugir, os criminosos roubaram dois carros e fizeram os motoristas de reféns. Um Monza, de Thiago Mendes, 20 anos, foi interceptado pela PM na Rua Alberto Silva, em Campinho, e o dono do veículo, libertado. Os bandidos se entregaram.
Já um Siena, de Diego Brito, de 22 anos, foi parado pelo cabo PM Alex Wehling na Avenida Ernani Cardoso, em Cascadura. Os criminosos abriram fogo e um dos tiros atingiu o colete do policial. Graças à proteção, ele ficou ferido levemente na barriga.
Durante a fuga dos traficantes, Diego pulou do Siena em movimento, na Rua Padre Manso, em Madureira, sendo atingido nas pernas por balas perdidas. Mais adiante, o carro bateu em mureta na subida de um viaduto.
No confronto, um traficante morreu, outro foi baleado e um terceiro fugiu. “Meu filho Diego só não morreu porque gritaram que ele era morador da área”, contou, chorando, Marilene Brito, de 59 anos.
Com os criminosos, os policiais apreenderam quatro fuzis — três calibre 7.62 e um 5.56 —; uma metralhadora 9 milímtros, fabricada no Chile e com brasão da polícia do Paraguai; cinco pistolas (quatro 9mm e uma 40 mm); dois carregadores; munição e um radiotransmisor.
Buscas
Os conflitos aterrorizaram ainda moradores de duas outras ruas. Na Maria Lopes, em Madureira, um dos bandidos, armado com uma pistola 9mm, foi morto em troca de tiros. A Iguaíba, em Quintino, também virou cenário de tiroteio, culminando com a prisão de um dos traficantes.
“O policiamento foi reforçado na região e não vamos dar trégua lá (Morro do Fubá), enquanto houver criminosos na comunidade, seja traficante ou miliciano”, garantiu o comandante do 9º BPM, tenente-coronel Cláudio dos Santos. No início da tarde, porém, não havia nenhuma viatura nos principais acessos à favela.
De acordo com Santos, os policiais militares se embrenharam numa mata da localidade, onde foram constatados vestígios de um suposto acampamento dos traficantes. “Foram encontrados restos de alimentos e pedaços de cobertores”, comentou.
Reportagem de Francisco Edson Alves e Marcello Victor

Nenhum comentário:

BlogBlogs.Com.Br