26 de mai de 2011

Fiação elétrica, a vilã dos incêndios em residências

Fonte: O Dia Online


Acidentes como o que destruiu 6 apartamentos na Tijuca são comuns, alerta Corpo de Bombeiros. Até 35% são causados por mau uso da rede elétrica ou do gás e por crianças

Rio - Incêndios ocasionados por acidentes domiciliares, como o ocorrido no edifício 407 da Rua Haddock Lobo, na Tijuca, na terça-feira, são mais frequentes do que se imagina. Lá, explosão de televisão deu início ao fogo. Segundo o diretor do Centro de Pesquisas, Perícias e Testes do Corpo de Bombeiros, coronel Hilmar Soares Francisco, de 30% a 35% dos casos em residências estão atrelados à má utilização do sistema elétrico, do botijão de gás ou a ações de crianças. Um dia após as chamas que destruíram por completo seis apartamentos — dos 66 do bloco 2 — na Tijuca, moradores voltaram à cena de terror da véspera.
Arte: O Dia
Arte: O Dia
Técnicos da Defesa Civil Municipal e do Corpo de Bombeiros estiveram no prédio e constataram que o conjunto, que está sem água e luz, não sofreu danos estruturais. Outros cinco imóveis foram atingidos parcialmente.


Moradores do bloco 2 voltaram para resgatar o que sobrou. Os imóveis ficarão interditados até a execução de obras nos sistemas elétrico e hidráulico. “A madrugada foi muito difícil. A imagem das pessoas correndo e do fogo se alastrando não sai da minha cabeça”, lembra a síndica, Mônica Riedlinger. 

O fotógrafo Paulo Bastos, 56, teve perda total do imóvel. Ele trabalhava na sala quando o fogo atingiu o local: “Meu ar-condicionado fritou em segundos. Na sala e na cozinha foi tudo derretido. Nos quartos só tem fuligem”, conta. Em outro apartamentos, a gata de estimação sumiu.

Porteiros preparados

A tragédia poderia ter sido maior se os porteiros Paulo Diniz e Luciano da Silva não tivessem feito curso para caso de incêndio. Eles interromperam o fornecimento de luz e gás e ajudaram moradores. “Indiquei aos bombeiros quais apartamentos eram prioritários. Pedi para resgatarem primeiro idosos e pessoas com dificuldades de locomoção”, lembrou Paulo.

Para Crea, risco é ainda maior 

Conforme estatísticas do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura do Rio (Crea), o risco representado pela fiação é ainda maior. Segundo o coordenador da Câmara de Engenharia Elétrica do Crea, Luiz Antônio Cosenza, mais de 90% dos casos de incêndio no lar estão ligados a problemas na rede elétrica: “Ainda desconhecemos o caso da Tijuca, mas chamaremos os envolvidos para esclarecimentos e orientaremos a população”.
Reportagem de Diogo Dias e Felipe Freire

Nenhum comentário:

BlogBlogs.Com.Br